OLHANENSE, 1 – V. GUIMARÃES B, 1

As duas equipas perfiladas antes do apito inicial

As duas equipas perfiladas antes do apito inicial

Moralizado com a vitória fora de portas, o Olhanense (novamente com Galassi a ponta-de-lança, apesar de ter no banco três atletas que actuam nessa posição) entrou bem na partida, assumindo a iniciativa e criando várias oportunidades. Numa delas a bola entrou mesmo na baliza, mas o lance foi anulado, pois a equipa de arbitragem considerou que o esférico esteve fora das quatro linhas (o que deixou muitas dúvidas, tal como uma possível grande penalidade por mão na bola de um defesa do Vitória).

Quem não marca sofre e os forasteiros chegaram à vantagem, na sequência da marcação de um livre perto da meia hora de jogo, numa jogada em que a defensiva rubro-negra deveria ter demonstrado mais concentração.

À beira do intervalo uma entrada bastante violenta de um atleta vimaranense junto ao banco do Olhanense, que se manifestou pela agressividade (como é normal), motivou uma enorme confusão no relvado, pois quase todos os elementos do banco adversário correram para o local onde a falta ocorreu (o que não é nada normal).

Confusão perto do intervalo resultou em duas expulsões

Confusão perto do intervalo resultou em duas expulsões

Do imbróglio que motivou a presença de elementos da segurança dentro do terreno de jogo para acalmar os ânimos, resultou apenas um cartão amarelo para o jogador minhoto e as expulsões de Bacci, treinador do Olhanense, e de Neno, delegado do Vitória, se que excederam na troca de “argumentos”.

Já na segunda parte, depois dessa e de outras jogadas em que o árbitro permitiu uma grande agressividade aos atletas visitantes, o árbitro não teve qualquer tipo de dúvidas em mostrar a Galassi um cartão vermelho directo numa jogada em que é puxado ostensivamente pela camisola e em que reagiu de modo intempestivo.

Mas seria com menos uma unidade, nos últimos vinte minutos, que o Olhanense teve o seu melhor período durante a segunda parte, criando perigo na área adversária e chegando mesmo ao golo, num cabeceamento de Rodrigo António a cinco minutos do final do tempo regulamentar.

Cristiano Bacci foi expulso, mas não se cansou de dar indicações a partir da bancada

Cristiano Bacci foi expulso, mas não se cansou de dar indicações a partir da bancada

FICHA DO JOGO:
Estádio José Arcanjo, em Olhão
Árbitro: Tiago Antunes (AF Coimbra)

OLHANENSE: Ricardo Ribeiro; Coubronne, Nuno Diogo, Diakhité e Pedrelli (Weldon, 82′); Celestino (David Viana, 76′) e Diogo Melo; Murilo (Ponce, 60′), Rodrigo António e Femi Balogun; Galassi;
Treinador: Cristiano Bacci
Suplentes não utilizados: Svedkauskas (GR), Giraldo, Martin e Balla

V. GUIMARÃES B: Palha; Pedro Lemos (Vigário, 83′), Gilberto, Dénis Duarte e Dabó; Joseph Amoah (João Pedro, 46′), Telmo Castanheira, Cláudio (Ricardo Gomes, 89′) e Nassim; Xande Silva e Areias;
Treinador: Armando Evangelista
Suplentes não utilizados: Miguel Silva (GR), Lima Pereira, Helinho e Rómulo.

Amarelos: Gilberto (23′), Nassim (43′), Joseph (45’+03′), Diakhite (52′), Areias (73′), Dabó (89′ e 90’+05′) e David Viana (90′)
Vermelhos: Galassi (72′) e Dabó (90’+05′)

GOLOS:
0-1 por Gilberto (28′)
1-1 por Rodrigo António (85′)

Vermelho directo a Galassi gerou sentimento de revolta

Vermelho directo a Galassi gerou sentimento de revolta

Anúncios