HOMENAGEM PÓSTUMA A FERNANDO CABRITA

Abaixo reproduzimos o texto lido por Gastão Nunes no intervalo da partida entre Olhanense e Sporting da Covilhã:

“Homenagear Fernando da Silva Cabrita, é recordar um dos maiores vultos do futebol português. Iniciou-se para o futebol no Esperança de Lagos, sua terra natal, onde nasceu no dia 1 de Maio de 1923, tendo alinhado no clube da sua terra durante três temporadas. O seu reconhecido valor, provocou que na temporada de 1942/43 se tivesse transferido para o Sporting Clube Olhanense, tinha então 19 anos e, durante nove épocas, na então primeira divisão, passeou, de vermelho e negro, o seu perfume pelos diversos campos de futebol do nosso país, fazendo parte da mais famosa linha avançada que o nosso clube jamais teve: Moreira, Joaquim Paulo, Cabrita, Salvador e Palmeiro.

Ao serviço do nosso clube foi internacional A, com 20anos de idade, num encontro com a Espanha que a nossa selecção foi derrotada por 5 a 1 tendo Cabrita marcado o ponto de honra da nossa equipa. Pelo Olhanense, disputou uma final da Taça de Portugal, com o Sporting Clube de Portugal.

Depois de deixar o nosso clube alinhou no Angers de França durante duas épocas, para depois se transferir para o Sporting Clube da Covilhã cujas cores defendeu de 1953/54 a 1958/59. Como jogador-treinador alinhou ainda no Portimonense.
Ao serviço do Sporting Clube da Covilhã, foi também internacional e logrou disputar uma final da Taça de Portugal, com o Sport Lisboa e Benfica.

Como treinador, ao serviço de diversos Clubes, nomeadamente o Benfica, conquistou diversos triunfos, mas o seu maior êxito terá sido como seleccionador nacional, liderando uma equipa técnica de que faziam parte António Morais, Toni e José Augusto, que se classifica em terceiro lugar no campeonato da Europa de 1984. Termina a sua carreira no Esperança de Lagos.

Muito fica por dizer deste homem do futebol que foi roubado à vida no dia 22 de Setembro de 2014 e nos deixou a todos, os que o admirávamos, muito mais pobres.

Agradecemos aos representantes do Esperança de Lagos e do Sporting Clube da Covilhã, por se terem associado a esta justíssima homenagem, ao mesmo tempo que, muito especialmente, agradecemos a presença da esposa e filha, que se deslocaram propositadamente de Lisboa, para estar connosco neste momento que sabemos representar para todos os desportistas, uma ocasião da maior justiça, pelo que pedimos para Fernando da Silva Cabrita uma grande salva de palmas.”

Antes do jogo os convidados visitaram a sala de troféus do clube.

Anúncios