FALECEU HENRIQUE EFIGÉNIA “REINA”

No dia 7 de julho de 2021 despareceu a maior referência viva do Olhanense, Henrique Evaristo da Efigénia, por todos conhecidos como “Reina”.

Nascido na nossa cidade (então Vila da Restauração) há 83 anos, vestiu a camisola rubro-negra durante 20 temporadas, de 1954 a 1975, retirando-se no escalão principal aos 36 anos.

Depois ainda jogou no Quarteirense e o Marítimo Olhanense, na antiga 3.ª Divisão, e voltou ao Olhanense na primeira metade dos anos 80, como técnico sendo adjunto de outro grande nome da nossa história, Carlos Silva.

Reina foi o jogador com mais partidas oficiais pelo Olhanense (não apenas na 1.ª Divisão, pois nesse caso o recordista é Grazina), que representou nos antigos três escalões nacionais do futebol português. Celebrou duas subidas ao escalão maior e foi campeão nacional da 2.ª e da 3.ª Divisão.

No site oficial o clube publicou uma NOTA DE PESAR que reproduzimos na íntegra: «Tomámos hoje conhecimento do falecimento de Henrique Evaristo da Efigénia, por todos conhecido por Reina, um dos mais carismáticos futebolistas de todos os tempos do Sporting Clube Olhanense.

Nasceu em Olhão e aqui se criou, pese embora, jovem ainda, tenha ido para Tavira estudar na Escola de Pesca, pois estava destinado à pesca do bacalhau. Porém, seria no futebol que o seu futuro se faria e assim, ingressou na temporada de 1954/55 nos juniores do Olhanense clube que defendeu até à época de 1974/75, quando abandonou o futebol profissional.

Capitão por diversas épocas, podemos considerá-lo o “eterno capitão”, pois o seu amor ao Sporting Clube Olhanense, foi eterno.

Fina-se um Olhanense da mais pura água, daqueles que não olhando ao lado financeiro jamais trocariam o seu emblema por qualquer outro e teve tantas ocasiões para o fazer.

Este é um momento triste para todos os Olhanenses que recordarão Reina como um Homem impoluto, grande entre os maiores, que nos deixa da mesma forma como viveu, em silencio, pedindo quase licença para estar. Mas era tão grande e tão dedicado que entre os seus admiradores e amigos deixa um vazio que jamais se preencherá.

À família enlutada, especialmente aos seus filhos João e Luís, eles que também defenderam o jersey vermelho e negro, o Sporting Clube Olhanense e o jornal “O Olhanense” apresentam sentidas condolências, com a certeza de que Reina descansa na Paz do Senhor.

A Direcção»

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.