OLHANENSE NUNCA ELIMINOU O BELENENSES

Cartaz da partida

Cartaz da partida

A partida de Sábado será apenas a terceira vez em que as duas equipas se encontram na Taça de Portugal, sendo que nas duas anteriores ocasiões, não conseguimos seguir em frente na prova.

Em 1941/42 empatámos 1-1 no Padinha e depois perdemos 3-0 em Lisboa, no desempate, frente à equipa que acabou por vencer o troféu. Já em 1962/63 empatámos 0-0 em Lisboa e perdemos por 4-1 em Olhão, numa altura em que a prova era disputada a duas mãos.

Curiosamente, o primeiro jogo oficial entre os dois clubes foi na prova que é considerada a antecessora da actual Taça de Portugal, o Campeonato de Portugal, há exactamente noventa temporadas desportivas atrás.

A partida foi disputada em terreno neutro, no Porto, no Campo do Ameal a 23 de Maio de 1926. O resultado final foi de 2-1 para o nosso adversário, golos de Alfredo Ramos e de Severo Tiago, enquanto que em relação ao nosso tento de honra as fontes históricas confundem-se: umas consideram o inesquecível Tamanqueiro o autor, e outras um golo na própria baliza de Severo Tiago.

Recorde-se que o Olhanense venceu a prova em 1923/24 (a final foi com o FC Porto) e, nas duas épocas seguintes chegou às meias-finais, sendo eliminado pelo Sporting em 1924/25 e pelo Belenenses em 1925/26.

A equipa da “Cruz de Cristo” já tinha jogado em Olhão pela primeira vez, no início dessa década, quando em Novembro de 1923 se deslocou ao Estádio Padinha, mas para disputar duas partidas de carácter amigável. A primeira, no dia 18, foi uma empate a uma bola. A segunda, no dia seguinte, foi uma vitória rubro-negra por 3-2 (os nossos golos foram apontados por Delfim, que bisou, e por Belo).

Na última vez que este adversário jogou na nossa cidade, em partida a contar para o escalão principal, o resultado final foi um empate a ZERO. Os dois únicos “sobreviventes” dessa formação rubro-negra, então orientada pelo também italiano Galderisi, são Coubronne e Murilo.

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.