PAULO REGULA, MAIS UMA REFERÊNCIA DE ABALADA

"Capitão" na primeira jornada

“Capitão” na primeira jornada

Depois de tantos outros anteriormente e mais recentemente do conceituado fisioterapeuta Fernando Belo (estava no Olhanense desde 2006), o médio Paulo Regula (chegou em 2011 e esteve uma época emprestado à Naval) já não faz parte do plantel orientado por Cristiano Bacci.

Desde a chegada do técnico italiano (e de uma suposta nova administração que ainda ninguém confirmou oficialmente), Regula foi uma vez suplente não utilizado e outra nem foi convocado. Os resultados estão à vista, assim como a produção do meio-campo nos últimos três encontros…

Não lemos qualquer confirmação “oficial” ou justificação, apenas o que veio nos jornais durante o fim-de-semana: Regula, que começou por ser o “capitão” no início da época e que ainda é o melhor marcador da equipa com seis golos, rescindiu o contrato que o ligava à SAD rubro-negra.

Regula foi um dos jogadores que transitou do clube para a SAD na temporada transacta, prolongando até o vínculo contratual em Março do ano passado por mais três anos. Internacional português nas camadas jovens e agora com 25 anos, foi várias vezes apontado como possível reforço de emblemas ingleses e italianos e como tal até poderia, eventualmente, render algum dinheiro numa transferência.

No entanto saiu a custo zero, assim como Jander ou André Micael, jogadores que rescindiram com a SAD antes de assinarem por outros emblemas. Recorde-se que estes atletas que transitaram do clube para a SAD, se fossem transferidos com compensação financeira, o clube teria direito a 10% desse valor.

Belo fez o último jogo na Madeira

Belo fez o último jogo na Madeira

Ou seja, em ano e meio, a SAD “livrou-se” destes e de vários outros dos seus activos sem notícia de existirem compensações financeiras conhecidas. Buval, Bazzoffia ou Vitor Bastos também saíram recentemente e não se sabem os contornos dos negócios.

O único valor de transferência conhecido é em relação a Lucas Souza, por um montante verdadeiramente fantástico: 1 milhão e seiscentos mil euros. O problema é que o negócio foi feito com o Parma, emblema italiano que atravessa grave situação financeira, motivando até que o seu jogo do último fim-de-semana tenha sido adiado, devido a vários atrasos de pagamentos.

Conforme se pode ler em artigo na “Gazzeta dello Sport”, os adeptos manifestaram-se no ESTÁDIO, onde colocaram cartazes em que se podia ler «Fechado por Roubo».

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.