OLHANENSE “REGRESSA” À TAPADINHA

Fernando Cabrita em acção na Tapadinha nos anos quarenta

Fernando Cabrita em acção na Tapadinha nos anos quarenta

Atlético e Olhanense são dois históricos do futebol português e “velhos conhecidos”, até se pode dizer. Desde a década de quarenta quando esta formação lisboeta foi fundada, defrontaram-se variadíssimas vezes, nos três antigos escalões existentes no nosso país (ou seja, na primeira, na segunda e até na terceira divisão, onde chegaram a estar os dois em simultâneo no início da década de oitenta) e depois, na década de noventa do século passado, na antiga Zona Sul da 2.ª Divisão B.

O último embate foi exactamente nesse campeonato, em 2001/02, quando as duas equipas lutavam para não descer de escalão. O Olhanense conseguiu manter-se, ao contrário do nosso adversário. Nessa temporada os resultados foram um empate 0-0 na Tapadinha e vitória rubro-negra por 1-0 no José Arcanjo, com um golo de Paulo Sérgio (o actual técnico da Académica). Curiosamente, o Olhanense não vence neste estádio desde a época 1993/94, altura em que conseguiu fazê-lo por três golos sem resposta, e desde aí seguiu-se uma serie de empates 1-1 e 0-0.

A esse propósito a página de Facebook “História do Futebol em Portugal” publicou uma extensa PESQUISA com todos os resultados dos jogos entre os dois clubes disputados na capital, em que estão incluídos até os resultados do Olhanense com o União de Lisboa e o Carcavelinhos, os dois clubes antecessores ao Atlético, de cuja fusão surgiu em 1942 o emblema actual.

Falando de tempos mais recentes, o Atlético estreou-se na época passada na 2.ª Liga (e como tal esta é a primeira vez que os dois clubes se encontram nesta competição) e tem actualmente menos três pontos do que nós na tabela classificativa. Mudou recentemente de técnico e a partida vai mesmo ser a estreia de Lázaro Oliveira (que chegou a ser apontado como possibilidade para o Olhanense no último Verão) no comando.

Na equipa de Alcântara jogam dois ex-atletas do nosso clube dos tempos de primeira divisão: Jorge Gonçalves, que actuou de rubro-negro em 2010/11, e Dady, que chegou a Olhão a meio dessa época e ficou ainda mais um ano.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.