ENTREVISTA COM JORGE VIDIGAL, O HERÓI DE 2004

A 29 de Fevereiro de 2004 jogou-se o último Olhanense-Farense a nível oficial, com a vitória a sorrir para as nossas cores, por 2-1. Ambos os golos foram marcados pelo internacional angolano Jorge Vidigal, que representou o nosso clube durante três épocas e que terminou a sua carreira há dois anos no Recreativo de Cáala, onde exerceu depois as funções de director desportivo e ultimamente integrou também a equipa técnica.

Aproveitámos a ocasião para falar com o antigo lateral direito sobre esse jogo (e não só), em que marcou dois golos de livre directo, que deram a volta ao resultado, numa tarde em que os nossos vizinhos chegaram a estar em vantagem, a partir dos dezassete minutos. Vidigal marcaria depois, primeiro à passagem da meia hora, e depois já em tempo de desconto.

Clique na imagem para ver a reportagem fotográfica

Clique na imagem para ver a reportagem fotográfica

Marcou vários golos pelo nosso clube, mas os dois livre certeiros ao Farense valeram uma vitória muito celebrada na altura. Que recordações tem desse derby?
Ao falar disso até me arrepio todo, são momentos que nunca vou esquecer, não só pelos golos mas também pelo grupo trabalho e pelos adeptos que tínhamos, foi muito bom. Inclusive, há poucos dias mostrei umas fotografias aos meus jogadores a recordar isso mesmo.

Esteve três anos no Olhanense, num plantel formado e comandado por Paulo Sérgio, que conseguiu uma subida e falhou outra. Apesar disso, foi uma equipa e um período que marcou bastante os nossos adeptos, como o inicio de uma etapa mais tarde concluída por Jorge Costa com a subida à 1.ª Divisão. Como recorda esses tempos em Olhão?
É verdade, foram três anos maravilhosos, infelizmente não conseguimos a segunda subida, mas foi muito bom. Eu normalmente digo aos meus amigos e aos meus jogadores que fui muito feliz na carreira que tive, pelos clubes e também pelo povo das cidades a que pertenciam, acho que fui abençoado nesse sentido.

Crónica do "Record"

Crónica do “Record”

Foi director desportivo e agora integra também a equipa técnica do Recreativo de Caála, e o seu irmão Lito é treinador no escalão principal em Portugal, no Belenenses. Espera um dia trabalhar com ele? E já agora, gostaria de um dia voltar a representar o Olhanense?
É verdade, neste momento estou em Angola a representar o Recreativo da Cáala, mas nunca se sabe. Tudo pode acontecer, mas seria muito bom trabalhar com o meu irmão, com certeza. Voltar ao Olhanense? Seria maravilhoso! Nem sei bem o que dizer, mas gostaria mesmo muito.

Para finalizar, quer deixar alguma mensagem aos adeptos do Olhanense na véspera deste derby?
As saudades são muitas e gostava de estar aí, para ver esse belo derby que já tive o prazer de disputar. Espero que os adeptos compareçam em massa, como sempre fazem para apoiar esse clube maravilhoso, pelo qual eu tenho um carinho especial. Boa sorte!

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.