ESTORIL-PRAIA, 4 – OLHANENSE, 0

Auto-golo precipitou a derrota

Auto-golo precipitou a derrota

Apesar do bom momento do adversário e de ser bastante difícil conseguir um resultado positivo neste jogo, ninguém do Olhanense esperava uma derrota tão pesada (igualando o resultado no Dragão, naquela que foi provavelmente a nossa pior fase da época), depois das boas indicações nas últimas partidas.

O primeiro sinal de perigo até pertenceu ao inconformado Dionisi, que atirou a bola à barra estorilista, aproveitando o forte vento que se fazia sentir. Mas a verdade é que a derrota começou a desenhar-se bastante cedo, quando Mladen se precipitou ao tentar o corte e fez golo na própria baliza, num lance em que se a bola passasse os jogadores adversários atrás de si estariam fora de jogo caso concretizassem a jogada.

Os rubro-negros até ofereceram boa réplica, mas perto do intervalo consentiram o segundo golo, numa jogada em que toda a equipa demonstrou permeabilidade a defender. À passagem do quarto de hora da etapa complementar surge o 3-0 na sequência de um canto, num lance em que a desconcentração defensiva voltou a ser evidente.

Para terminar em desgraça, Sampirisi (acabado de entrar para render Jander) foi expulso num lance bastante discutível em que o árbitro considera que há falta para grande penalidade. Na conversão da mesma, a um minuto do fim, foi feito o quarto golo dos “canarinhos”, selando um resultado claramente exagerado e que penaliza em excesso a nossa equipa.

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.