OLHANENSE, 2 – VITÓRIA DE SETÚBAL, 1

A festa do primeiro golo

A festa do primeiro golo

Que melhor regresso a casa se poderia desejar do que este, com uma vitória? Provavelmente melhor só se a Liga se preocupasse com os chamados clubes mais pequenos no agendamento da jornada e não permitisse que o duelo entre os dois clubes dominadores do nosso futebol dos últimos anos se realizasse à mesma hora e com transmissão televisiva…

Apesar de tudo, estes três pontos já ninguém nos tira e em jogos do escalão principal o José Arcanjo continua a não registar assistência abaixo do milhar de espectadores, algo que nem todos os recintos do futebol nacional se podem gabar.

No que se refere ao jogo propriamente dito, o Olhanense voltou a entrar mal, sofreu um golo bastante cedo, praticamente na primeira oportunidade criada pelo adversário, e ao longo da primeira parte não conseguiu reagir. A sorte esteve, contudo, do nosso lado, e um remate mal conseguido de Jander resultou numa situação mal resolvida pelo guardião forasteiro, que Mehmeti aproveitou para fazer o 1-1.

Na etapa complementar, e apesar de não ter feito qualquer substituição ao intervalo, a equipa agora orientada por “Nanu” Galderisi apresentou-se com outra raça e determinação, e acabou por vencer justamente a partida, com um golo de belo efeito por parte de Federico Dionisi. Foi um rápido contra-ataque, concluída em jogada individual pelo italiano, que o italiano considerou um dos tentos mais bonitos da sua carreira, como se poder ler em declarações publicadas no MAIS FUTEBOL.

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.