TÉCNICO JÁ ESTEVE NA “POSIÇÃO” DOS JOGADORES

Felizmente, o Olhanense não é despromovido de um campeonato que disputa desde a longínqua temporada 1991/92, mas entretanto já esteve por algumas vezes envolvido na luta pela manutenção. Desde que regressámos ao principal escalão do futebol nacional a permanência foi sempre assegurada, com maior ou menor proximidade do final da época, antes da derradeira jornada.

A equipa de 1995/96

A equipa de 1995/96

A última vez em que o Olhanense esteve numa situação similar à que poderemos viver no próximo Domingo, foi na temporada 1995/96. A situação não era tão complicada pontualmente, mas ao conseguirmos apenas empatar em casa com o União de Montemor (1-1, com o nosso golo a ser apontado por Sabata), jogadores e público tiveram que ficar no José Arcanjo, depois do apito final, mais algum tempo à espera de saber os resultados de outros jogos.

Faziam parte dessa equipa, como jogadores, o nosso actual técnico, Bruno Saraiva, assim como Bruno Veríssimo (que cumpria o primeiro ano de rubro-negro) e Hélder Rocha, que era o capitão e que é o treinador da nossa formação de juniores desde 2009/10.

Os nossos vizinhos de Silves (que perderam em Beja) e de Quarteira (que empataram em casa com o Barreirense) eram os rivais directos e fruto de não terem vencido os respectivos jogos, desceram à 3.ª Divisão. Essa foi uma “luta” quase que exclusivamente algarvia nessas últimas jornadas, com Olhanense e Louletano a ficarem empatados por pontos (43, depois de curiosamente terem também empatado a dois golos, em Loulé, na penúltima jornada do campeonato) logo acima da chamada “linha de água”. Desceriam nesse ano Silves (com 40 pontos), Quarteirense (39), Praiense (36) e Amora (apenas com 19).

Seis anos depois (em 2001/02), ainda no mesmo escalão, o Olhanense andou durante largas jornadas nos lugares de despromoção, mas acabou por chegar à última ronda relativamente seguro, bastando vencer em casa o Operário (o que conseguiu, por 3-1) para não ter que depender de resultados de terceiros. Nessa temporada um dos adversários directos nessa luta foi o Atlético, que acabou por descer, onde jogava… Bruno Saraiva.

Ou seja, o nosso actual treinador já experimentou as chamadas duas faces da moeda, como jogador, de poder descer (ou não) de divisão na última jornada.

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.