OLHANENSE, 0 – GIL VICENTE, 0

Não foi um grande jogo de futebol, mas pode-se dizer que foi bem disputado, com domínio do Olhanense durante quase toda a partida, mesmo quando se viu reduzido a 10 unidades a 10 minutos do final da mesma.

Apesar de não ter sido brilhante a exibição, os rubro-negros estiveram perto do golo por várias vezes, falhando mais uma vez na concretização.

Aquilo que parecia um desperdício de pontos em casa acabou por ser um mal menor, visto que aos 80 minutos o árbitro da partida considerou que um lance dentro da área entre André Pinto e o avançado forasteiro José Luís foi merecedor de grande penalidade.

O central foi expulso, mas Fabiano Freitas voltou a demonstrar que é um especialista a defender castigos máximos, garantindo um ponto que acaba por ser precioso e que nos dará vantagem em eventual confronto directo com este adversário no final do campeonato.

O momento em que guardião rubro-negro garantiu o empate

FICHA DO JOGO:
Estádio José Arcanjo, em Olhão
Árbitro: Duarte Gomes (AF Lisboa)
Assitência: 1.830 espectadores

OLHANENSE: Fabiano Freitas; Mexer, André Pinto, Maurício e Ismaily; Fernando Alexandre e Cauê; Salvador Agra, Rui Duarte (Toy, 53′) e Wilson Eduardo (Regula, 65′); Dady (Yontcha, 65′);
Treinador: Sérgio Conceição
Suplentes não utilizados: Bruno Veríssimo (GR), Djalmir, Jander e Vasco Fernandes
Amarelos: André Pinto (25′), Maurício (41′) e Cauê (90’+02′)

GIL VICENTE: Adriano; Daniel, Paulão, João Pedro e Júnior Caiçara; Luís Manuel, André Cunha e César Peixoto (Guilherm, 67′); Rodrigo Galo (Éder, 73′), Zé Luís e Richard (Mauro, 90’+01′);
Treinador: Paulo Alves
Suplentes não utilizados: Jorge Batista (GR), Tó Barbosa, Yero e Paulo Arantes
Amarelos: Júnior Caiçara (80′)

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.